A obesidade é um problema que a cada ano atinge uma maior quantidade de pessoas por todo o mundo. Como exemplo, nos Estados Unidos, cerca de 40% das pessoas estão neste estágio de sobrepeso.
Vários motivos podem levar a esse estado de saúde e as consequências são diversas, podendo chegar a uma alta gravidade devido ao risco que causa no corpo nas mais variadas áreas, comprometendo assim a vida do indivíduo.
Para saber se é possível considerar alguém obeso, é necessário fazer alguns cálculos. A referência é baseada no Índice de Massa Corporal, o IMC. Caso o número seja maior ou igual a 25kg/m2, está acima do peso. Já se ele estiver a partir dos 30kg/m2, o diagnóstico é de obesidade.
Em muitos casos, desde a infância a pessoa já apresenta um quadro alarmante em relação à doença. É preciso tomar muito cuidado para que ao longo do crescimento – passando por adolescência e vida adulta – o IMC não fique ainda maior.
Os pais devem focar na alimentação de seus filhos enquanto crianças para que isto não aconteça, para assim evitar o hábito de fazê-las comer de modo irregular e tendo que lidar com todas as adversidades causadas por este vício. A fase infantil é de extrema importância em relação ao tratamento.
Para evitar a obesidade, muitas medidas devem ser tomadas ao longo da vida e assim criar hábitos e uma nova rotina. Pesquisar informações e ter conhecimento sobre o que exatamente leva as pessoas à esta condição de peso é importante para que haja uma consciência e maior cuidado em relação a todas as atitudes maléficas ao corpo. O primeiro passo é saber quais são as causas da doença.

Causas da obesidade

Comer de modo correto é um ponto-chave para evitar a doença. Seja no café da manhã, almoço ou janta, a educação alimentar é uma prioridade que tem que ser muito bem trabalhada, independentemente da idade. Os alimentos ricos em gorduras fazem com que hajam calorias extras que ficam armazenados no organismo e dessa forma a gordura corporal aumenta.
Além disso, comer às pressas ou realizar refeições de modo desorganizado também contribuem para o aumento de peso quando isto passar a acontecer de modo frequente. Todo o estilo de vida no que diz respeito aos hábitos alimentares é um fator que influencia as chances de haver problemas ligados ao corpo. É essencial que eventualmente a dieta faça parte da rotina de uma pessoa. O sobrepeso pode ser controlado quando há uma prevenção e um tratamento bem feito.
Embora alguns alimentos sejam mais recomendáveis do que outros de acordo com os nutrientes, qualquer comida pode contribuir para que o peso do indivíduo aumente. Isto acontece porque o processo do acúmulo de gordura consiste na relação entre a energia proveniente da alimentação com a energia gasta pela pessoa.
Caso ela não se desgaste durante o dia, as calorias ficam armazenadas no tecido adiposo sob a forma de gordura. Por isso, a falta da prática de exercícios físicos também pode ser considerada um fator para a obesidade.
Seja uma caminhada, corrida, ida à academia ou a prática de esportes, se exercitar é fundamental para evitar o acúmulo de peso. Ter uma vida baseada no sedentarismo é perigoso e pode levar a consequências graves e, em alguns casos, irreversíveis. Muitas doenças surgem a partir desta condição.
Com a praticidade que a tecnologia proporciona nos últimos anos, ficar parado em casa realizando algumas atividades no computador ou no celular se tornaram comuns. Isso faz com que não sair do conforto do lar seja um grande atrativo a não ter que se distrair com atividades externas, assim não praticando exercícios naturalmente, ainda que apenas uma caminhada ao banco, por exemplo. Realizar atividades física é de extrema importância e a falta dela é perigosa e danosa ao corpo.
Outro fator de risco é quando há um consumo exagerado de bebidas alcoólicas. Elas de um modo geral não possuem nutrientes que tragam benefícios ao organismo, sendo assim consideradas vazias. Além disso, elas contam com uma grande densidade calórica, abaixo apenas das gorduras.
Por fim, fatores genéticos também podem contribuir para a formação corporal, levando consequentemente à obesidade, embora não seja uma regra.

Doenças relacionadas à obesidade

Aqueles com diagnóstico de obesidade apresentam problemas ligados ao problema. Entre eles, sintomas relacionados a questões cardiovasculares. O coração é um dos mais afetados pelo sobrepeso da pessoa e as consequências podem ser percebidas de diversas formas. Seja através da da insuficiência cardíaca, devido à dificuldade de bombeamento do sangue, ou pelo infarto agudo do miocárdio, também conhecido como parada cardíaca.
Além disso, o obeso sofre com outras muitas adversidades originadas pelo excesso de peso.
Como por exemplo, a hipertensão. A pressão alta está relacionada à obesidade devido ao acúmulo de gordura no corpo que comprime os vasos sanguíneos. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de nove milhões de pessoas no mundo morrem devido a esta doença. Para evitá-la, é essencial perder peso para que haja uma melhora na circulação.
Outra consequência é o surgimento da Diabetes do tipo 2, pois o peso dificulta a atividade da insulina no organismo, fazendo com que o nível de glicose suba. É o tipo mais frequente e que a cada vez mais surge de modo mais precoce. Estatisticamente, oito em cada dez obesos apresentam sinais de diabete.
Com tantas doenças interligadas à condição do peso, o obeso passa por um processo de depressão. Devido a todas as dificuldades geradas como consequência ao problema, é natural que o lado psicológico da pessoa seja afetado, prejudicando assim todo o funcionamento do corpo. É preciso tomar muito cuidado para que o sobrepeso não chegue a um ponto crítico desta forma.

Tratamento

Para fazer tudo de modo correto, é importante ter o auxílio de um profissional de saúde. Fazer consultas com nutricionistas é um passo que não pode ser evitado. O suporte dele é totalmente necessário para o tratamento da doença. O médico especialista no assunto facilita o processo de melhora e serve como um guia em relação às atitudes ligadas à comidas e bebidas.
A dieta é um passo fundamental para o tratamento da obesidade. É um processo que pode demorar, mas que traz resultados totalmente benéficos à saúde e à vida de um modo geral. A educação alimentar é um ponto fundamental para o controle do peso e o papel do nutricionista é essencial. Comer de modo correto durante as refeições faz com que os resultados sejam visíveis e diminuam a possibilidade de riscos mais graves.
Além da alimentação, a prática de exercícios físicos é parte das medidas a serem realizadas para que haja uma melhora. O ritmo deve ser feito de acordo com as capacidades e o condicionamento do indivíduo, evoluindo gradualmente a partir do momento em que ele se acostumar e criar este hábito. De todo modo, o acompanhamento profissional deve se fazer presente para que tudo seja controlado e tratado do modo mais eficiente possível.
Cuide da sua saúde. Agende uma consulta com um médico especializado no assunto e mude de vida para melhor! Quem é obeso não precisa o ser para sempre. Com o tratamento adequado e tendo disciplina na mudança de hábitos, os resultados serão satisfatórios. Veja os serviços disponíveis e aproveite os benefícios do suporte de um profissional!