O acúmulo de gordura abdominal afeta as pessoas de diversas maneiras, a principal delas é a autoestima, já que está ligado a estética.
O que a maior parte da população que sofre com o problema não sabe é que esse acúmulo na região da cintura vai além da estética afetando diretamente a saúde.
Isso é o que dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revela. De acordo com a OMS o acúmulo de gordura na região do abdômen tem ligação com a deposição de tecido adiposo (gordura) no interior da cavidade abdominal.
Para entender melhor o assunto confira esse artigo preparado para esclarecer suas dúvidas.

Perigos relacionados ao acúmulo de gordura abdominal

Vejamos como esse acúmulo pode ser perigoso por entender os tipos de gordura que existe e quando é benéfica e maléfica.
Existe dois tipos básicos de gordura, a gordura marrom, que tem função de gerar calor convertendo substâncias orgânicas em energia para o corpo. Essa gordura esta presente principalmente em recém nascidos e pessoas com disposição a serem muito magras.
E a gordura branca que é responsável por armazenar energia, até certo ponto, a gordura boa para o corpo.
O problema acontece quando o acúmulo dessa gordura branca passa a ser descontrolado, como acontece quando há consumo excessivo de calorias e pouco ou nenhum exercício para queimá-las. Neste caso o corpo continua a armazenar gordura que pode ser muito prejudicial.

As gorduras se distribuem pelo corpo de duas formas:

  • Gordura subcutânea;
  • Gordura visceral.

A gordura subcutânea é aquela que se acumula embaixo da pele. Quando ocorre o excesso na região abdominal gera o aspecto de barriga e cintura sem forma e alterados; os famosos “pneuzinhos”.
Nas mulheres a gordura subcutânea também pode se acumular na região do quadril e das coxas, regiões que não oferecem tanto perigo a saúde. O problema maior se concentra na região abdominal.
Quando o tecido adiposo cresce em excesso no abdômen favor e a formação excessiva da gordura visceral. Esse tecido adiposo se acumula na parte interna da região abdominal e se forma ao redor de órgãos vitais como pâncreas, fígado e intestinos.
Comprovado pela OMS esse acúmulo anormal está relacionado com o aumento da taxa de mortalidade tanto em homens como em mulheres. Isso porque a gordura visceral tem ligação direta com:

  • Aumento do risco de diabetes tipo 2;
  • Aumento da pressão arterial;
  • Mais chances de desenvolver doenças cardíacas;
  • Demência;
  • Câncer e outros problemas graves de saúde.

Saber sobre os perigos do problema pode ajudar na prevenção e tratamento. Existem formas de queimar e combater o excesso de gordura localizada. Mais a frente falaremos sobre isso com mais detalhes.
Tão importante quanto tratar é prevenir. Se achar que tem um volume um pouco maior nessa região seria bom fazer uma avaliação para saber se as medidas estão alteradas.
Uma consulta ao médico nutricionista é recomendada quando os valores da região abdominal estão alterados, quando existe alguém na família que desenvolveu alguma doença citada no tópico acima como diabetes tipo 2, câncer de intestino e outras doenças. Ou quando há problemas de peso em geral consideravelmente acima do IMC e problema de obesidade.

Como saber qual a medida ideal para a cintura e região do abdômen

cintura-abdomen-mulher-cintura-fina

Realizar o teste para saber se a região abdominal apresenta gordura em excesso é bastante simples.
Basta uma fita métrica para a conferência. A medida deve ser tirada na parte mais estreita, ou mas fina da cintura. Os valores para as mulheres não podem ultrapassar 82cm, já nos homens o valor deve ser igual ou inferior a 102cm.
A circunferência não deve passar de 0,85 nas mulheres e 1,0 nos homens.
Se suas medidas não ultrapassaram esses valores você está com a circunferência abdominal normal. Caso o resultado tenha sido um valor maior vale a pena intensificar atividades físicas e reajustar a alimentação.
Fique atento ao seu corpo e sua saúde. O tecido adiposo no peso considerado normal, deve ser de 15% a 20% para as mulheres e para os homens o valor deve estar entre os 20% a 30% do seu peso total.
Visto que o acúmulo de gordura na cintura está associado a doenças crônicas é importante manter acompanhamento para prevenção e controle.

Calculando o IMC

Para saber se você está acima do peso é preciso calcular o Índice de Massa Corpórea__ IMC.
A fórmula para realizar esse cálculo é muito simples também: IMC= peso/altura x altura.
Então vamos lá. Qual o seu peso? Divida esse valor pela sua altura e o resultado multiplique pela sua altura novamente e terá o seu índice de IMC.
O índice de Massa Corpórea tem uma tabela padrão. Confira:

  • Valores entre 18,5 e 24,99 considerado peso normal, ideal;
  • Valores entre 25 e 29,99 é considerado acima do peso;
  • Valores entre 30 e 34,99 é considerado obesidade grau I;
  • Valores entre 35 e 39,99 é considerado obesidade grau II ou severa;
  • Valores acima de 40, obesidade grau III, mórbida;
  • Valores abaixo de 18 é considerado abaixo do peso, desnutrição.

Como prevenir e tratar problemas de gordura abdominal

cintura-abdomen-medidas-cintura-saudavel

Duas maneiras para prevenir e reduzir a gordura localizada da cintura são exercícios físicos regulares e dieta equilibrada.
Estudos comprovam que pelo menos 20 a 30 minutos de exercícios por dia, associados a uma dieta equilibrada diminui os riscos de problemas cardíacos em até 50%. Além disso, treinos de alta intensidade específicos para queimar gordura localizada contribuem na prevenção de doenças como diabetes, doenças cardíacas e até mesmo certos tipos de câncer.
Apesar do exercício físico ser muito eficiente na prevenção e tratamento de várias doenças, é importante uma avaliação antes de realizar as atividades para saber se você está apto para praticar o exercício escolhido.

O combate a obesidade deve ser feito com controle médico e nutricional, exercícios físicos e medicações indicadas por um especialista.
Por isso, aderir a uma rotina de ativa e alimentação equilibrada é muito importante para reduzir a circunferência do abdômen e a redução de peso.
Todos em geral, especialmente pessoas com problemas de excesso de peso se beneficiam por incluir na alimentação: fibras, alimentos orgânicos pouco processados, ricos em vitaminas e minerais, evitar ingestão demasiada de carboidratos, açúcares e gordura trans.

Atenção a um detalhe importante quando se fala em dieta balanceada/equilibrada. A internet está cheia de fórmulas, dietas e dicas de alimentação saudável. Muitas dessas dicas são bem direcionadas e podem realmente ajudar.
Mas vale lembrar que regimes sem orientação médica podem ser prejudiciais à saúde. Não basta retirar algum alimento da rotina, visto que o sistema de cada indivíduo funciona de maneira diferente é importante consultar um nutricionista para saber qual tipo de dieta seu corpo precisa.

Assim, tão importante quanto uma boa alimentação e rotina saudável é a ingestão de líquidos, o ideal é beber no mínimo 2 litros de água, ou 8 copos de água por dia. Sucos antioxidantes e chás verde também são indicados para desintoxicar o organismo e prevenir doenças.

Cuidar da saúde é muito importante. A prevenção será sempre o melhor remédio. Se você está com uma gordurinha a mais na cintura, ou com excesso de peso, saiba que é possível sim emagrecer com saúde. Para mais informações procure um profissional da saúde para orientá-lo. Agende uma consulta!